Em S. Paulo, atleta do Sporting venceu o lançamento do peso. Liliana Cá venceu o lançamento do disco

 

A participação portuguesa no Grande Prémio do Brasil, a última prova do World Continental Tour de 2020, que se realizou na cidade de S.Paulo, fechou com a marca de qualificação olímpica obtida por Auriol Dongmo na prova de lançamento do peso, com a marca de 18,57 metros.

 

A portuguesa, que abriu o concurso com a marca de 18,29 metros, tinha a qualificação olímpica (18,50 m) no pensamento e conseguiu esse objetivo no terceiro ensaio, com os 18,57 metros. No segundo dos quatro ensaios Auriol conseguiu 17,99 m e fechou o concurso com 18,23 m. Recorde-se que, apesar de Auriol Dongmo ter batido o recorde de Portugal ainda no verão (19,53 metros), a janela de reconhecimento das marcas de qualificação estava fechada, só abrindo no passado dia 1 de dezembro, data em que as marcas são também reconhecidas para os World Rankings da World Athletics.

 

A segunda classificada no lançamento do peso foi a brasileira Geisa Arcanjo (17,30 m), com a luso-guineense Jessica Inchude (Sporting) na terceira posição (17,04 m) e com a portuguesa Eliana Bandeira (Benfica) a terminar na quarta posição com 16,63 m).

 

Excelente prestação para Liliana Cá (Novas Luzes), que conseguiu um recorde pessoal no lançamento do disco ao alcançar os 61,91 metros ao terceiro ensaio, marca que lhe deu o triunfo na competição. A atleta abriu com um lançamento de 55,49 metros, melhorou depois para 59,37 m antes do lançamento vitorioso. O quarto ensaio foi um lançamento muito longo (acima dos 62 metros), mas nulo. A portuguesa derrotou as brasileiras Andressa de Morais (60,61) – tripla campeã sul americana - e Fernanda Martins (60,46), dando um passo importante para poder ser qualificada pelos rankings para os Jogos Olímpicos.

 

Quantos aos restantes portugueses, no salto em altura, Gerson Baldé (Benfica) foi quinto classificado com 2,10 m (Victor Korst, em S. Paulo, não iniciou o concurso). O vencedor da prova foi o brasileiro Fernando Ferreira, com 2,25 m.

 

Refira-se que Diogo Ferreira, que também estava previsto participar no salto com vara, acabou por não se deslocar devido à dificuldade de transporte das varas.
 

 

Foto: Liliana Cá e Auriol Dongmo (enviada por Paulo Reis)