Patrícia Mamona, Susana Costa e Evelise Veiga em momento histórico para Portugal

 

Quando baterem as 16.40 horas em Doha, no Qatar (14.40, hora de Lisboa) do dia 3 de outubro, amanhã, sétimo dia dos Campeonatos Mundiais de Atletismo, Portugal viverá um momento histórico, com a participação de três atletas na qualificação do triplo-salto. Patrícia Mamona, Susana Costa e Evelise Veiga tornar-se-ão as três primeiras portuguesas das chamadas disciplinas técnicas que chegam a este patamar em grandes campeonatos.

 

Com maior palmarés, Patrícia Mamona, com os seus 14,44 metros obtidos em pista coberta, é a atleta que tem a 10ª marca deste ano entre as participantes, está confiante em atingir a final. «A marca de 14,30 metros é difícil, mas acessível. Espero fazer um bom aquecimento e ter sorte de não fazer nenhum salto nulo», referiu.

 

A preparação está feita, «estive também na Turquia, a estagiar, porque é um lugar que já conhecíamos, com boas instalações, e que nos permitia chegar aqui em poucas horas, ao invés da viagem longa diretamente de Portugal. Não são as mesmas condições de temperatura, mas observei, com agrado, que as condições no estádio não são de calor excessivo, nem de humidade elevada, como mais receava».

 

Patrícia Mamona competirá no grupo A de qualificação, juntamente com Evelise Veiga, que se estreia assim em Campeonatos Mundiais numa disciplina que não é a sua habitual, «e que não vou deixar de lado, ainda tenho algo a fazer no comprimento», afirmou, mas para competir no triplo-salto, disciplina em que surpreendeu. Para ela, «a qualificação será a prova mais difícil. É uma nova realidade em que espero um bom resultado, que dê para ir à final», notou a atleta que é 19ª entre as participantes, com a sua marca de 14,32 metros.

 

Também ela esteve a estagiar na Turquia, «com mais atletas, com boas condições, que espero ajudar-me a fazer uma boa competição».

 

A terceira portuguesa, a segunda de maior palmarés, Susana Costa, trouxe para Doha a marca de 14,43 metros (obtida em pista coberta), que a deixa em 11º lugar entre todas as participantes. A atleta espera «conseguir chegar à final da prova, enfrentando uma qualificação muito difícil, porque o nível competitivo do triplo-salto feminino está muito forte».

 

Susana Costa assistiu ao triplo-salto masculino e ficou «a conhecer a pista, que me parece boa», ajudada ainda pela observação a uma qualificação «muito renhida, de grande nível, como provavelmente será a feminina».

 

Algumas horas depois, será a vez da prova de lançamento do peso, onde estará a competir Francisco Belo, que foi integrado no grupo B, com início às 20.40 horas (18.40 em Lisboa).