Os principais atletas portugueses de lançamentos estiveram reunidos em estágio promovido pela Federação Portuguesa de Atletismo, em Vila Real de Santo António, a preparar os momentos competitivos mais próximos, a Taça da Europa de Lançamentos e o Campeonato da Europa de Equipas, sem perder de vista os Jogos Olímpicos. 

 

O estágio decorreu entre 28 de março e 3 de abril, e foi destinado aos atletas mais importantes dos lançamentos em Portugal, do peso, disco e martelo, «e apenas estes, pois os do dardo já tinham feito um estágio com a equipa polaca», adiantou Paulo Reis, o Treinador Nacional de Lançamentos.

 

Para Paulo Reis, «o que faz com que estes momentos [estágios coletivos] sejam rentáveis e importantes, tem a ver sobretudo com a possibilidade de avaliar os atletas, quer técnica, quer fisicamente. Para a avaliação técnica contamos com os parâmetros biomecânicos que são recolhidos pelo Paulo Oliveira. Com esses elementos, é feita a avaliação em conjunto e os treinadores têm oportunidade de partilhar opinião, esclarecer dúvidas e apresentar os seus métodos de trabalho. Isso é muito importante para definir a estratégia para uma intervenção técnica».

 

Existem outros dados, condicionais, que também são habitualmente recolhidos, «o que fizemos, é claro, embora não a bateria completa, pois iniciámos os treinos há pouco tempo».

 

Procurando encontrar outras condições de treino para os atletas, até mesmo no tocante a melhor temperatura, este estágio proporcionou aos nossos atletas, especialmente aos ‘martelistas’, partilhar o espaço com vários atletas internacionais, destacando-se Pawel Fadjek (que se sagrou quatro vezes consecutivas como campeão mundial) e Malwina Kopron (medalha de bronze nos mundiais de 2017), fazendo sessões técnicas e «verificar como treinam estes atletas de referência», explicou Paulo Reis.

 

Particularmente, este estágio contou com a «presença da fisioterapeuta, Flávia Sousa, que teve uma ação importante, pois estamos em período de grande volume, surgem as pequenas mazelas, e há a necessidade de recuperar os atletas para as sessões seguintes», adiantou o Treinador Nacional de Lançamentos que, relembra, «este é um momento em que o setor pode pensar. Reunimos todas as noites, após as sessões de treino, debatendo as unidades de força, de técnica, e alinhavando as estratégias para enfrentar as grandes competições. Este ano, especialmente, estamos concentrados também na presença olímpica, e alinhamos essas estratégias que passam por marcação de mais estágios, das datas de ida para o Japão. No fim, este é também um momento de crescimento técnico, de aumento da motivação individual e de grupo, que esperamos possa já dar fruto na Taça da Europa de Lançamentos, que se realiza já no princípio de maio».